quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A Doutrina do Choque de Ricardo Coutinho

Quem não se lembra da campanha eleitoral para governo do estado onde o então candidato Ricardo Coutinho afirmara que a Paraíba precisaria de um choque na educação, um choque na saúde  e diversos outros  choques em âmbitos variados do governo, quem não  se lembra do grande salto? Enfim foram essas e outras idéias que persuadiram os eleitores a votarem nele junto ao desejo de mudança.
Preferi ficar em silêncio e preferi não me manifestar durante esses 50 primeiros dias de governo, fiquei somente observando a mídia, redes sociais e os diversos setores que ela engloba. Durante esse tempo, acompanhei inúmeras pessoas estarrecidas como a forma ditatorial a qual o governo estadual vem fazendo para as diversas classes sejam policiais, professores, funcionários, dentistas, médicos e “N” classes. Um grande colega meu afirmou com todas as letras “Sai um governo oligárquico e entrou um ditatorial”. Apesar de ser jovem, mas estudioso da política, nunca vi um governo para mudar tanto e fazer com que haja tanta insatisfação popular como este; creio querido leitor que você deve perguntar quem sou para falar isso, e eu respondo a você fui um dos eleitores dele, que trabalhou incessantemente para elegê-lo.
Estudando e debatendo cheguei a uma conclusão que parte de uma única pergunta: Afinal o que estão tentando fazer no Governo da Paraíba? E então eu te respondo: O atual governo está tentando implantar uma nova doutrina: “A Doutrina do Choque” criada em meados do século XX por Milton Friedman e Friedrich Hayek e tem por objetivo igualitariamente como todas as doutrinas  a filosofia de poder. Segundo Naomi Klein É uma filosofia sobre como conseguir seus próprios objetivos políticos e econômicos. É uma filosofia que sustenta que a melhor maneira, a melhor oportunidade para impor as idéias radicais do livre-mercado é no período subseqüente ao de um grande choque. Esse choque poder ser uma catástrofe econômica. Pode ser um desastre natural. Pode ser um ataque terrorista. Pode ser uma guerra. Mas, a idéia é que essas crises, esses desastres, esses choques abrandam a sociedades inteiras. Deslocam-nas. Desorientam as pessoas. E abre-se uma ‘janela’ e a partir dessa janela se pode introduzir o que os economistas chamam de ‘terapia do choque econômico’.
Ricardo está causando o Caos no governo durante os primeiros dias, porém é uma espécie de extrema cirurgia em todo estado. E tudo de uma vez, Um verdadeiro efeito dominó. A estudiosa Naomi Klein autora do livro a Doutrina do Choque vai nos ajudar entendo, todo esse contexto que a Paraíba vem enfrentando, pois o choque “Não se trata de um reforma aqui, outra por ali, mas sim uma mudança de caráter radical” é o que aconteceu em diversos países como o que vimos acontecer na Rússia nos anos noventa, o que Paul Bremer procurou impor no Iraque depois da invasão, o golpe militar contra Augusto Pinochet no Chile e diversos outros acontecimentos que adentram no contexto da doutrina do choque. Para a autora e estudiosa desse tema Isso não significa que apenas os direitistas em determinada época tenham sido os únicos que exploraram essa oportunidade com as crises, porque essa idéia de explorar uma crise não é exclusividade de uma ideologia em particular. Os fascistas também se aproveitaram disso, os comunistas também o fizeram e agora pelo que estamos assistindo é a vez do socialismo.

CONFIRA A SEGUNDA PARTE NA PRÓXIMA SEMANA

Nenhum comentário: