quinta-feira, 3 de novembro de 2011

“E Voltará Sobre Vós o Martírio Esperancense da SECA…”

Alguns dos munícipes de Esperança estão viajando ou brincando o carnaval e ainda não sabem o que começarão a vivenciar na próxima quarta feira de cinzas quando chegarem à cidade – “SECA” um dilema difícil de ter solução e que assola a região a mais de 30 anos.
 Segundo os Estudos de Rau Ferreira, uma publicação na Revista do IHGP de 1911, ou seja, há 100 anos, o autor tratava deste assunto chamando a atenção para uma possível falta d’água no futuro. Dizia que a construção de açudes e o desentupimento dos tanques poderia ser a solução mais viável. E também mencionou o extinto açude “Banabuyê com uma milha de círculo”.  Aterrado para hoje ser uma rodoviária, cujos fundos nunca chegaram á cidade, e se chegaram ninguém sabe onde está. Hoje é apenas um campo onde muitos batem sua bolinha de domingo. 
Dá para imaginar o quanto esta manancial era importante. Mas passados 100 anos nada foi feito e estamos finalmente no colapso total. Será que ainda há tempo? 
Tivemos como Deputado Estadual e Federal Armando Abílio e o que ele fez? Nada! Alegava que por ser de oposição a prefeitura não poderia trazer projetos para cidade, em contra partida tivemos a Deputada Estadual Lucinha Monteiro e se você estimado leitor me perguntar o que ela fez por aqui, sou sincero em lhe dizer: não sei, porque pesquisei requerimentos da época e não encontrei nada, seu esposo Arnaldo Monteiro, quando prefeito tentou controlar a situação da seca, mas como Deputado, não vi se quer uma reivindicação para a terra que segundo ele tanto ama. 
O Prefeito nem se fala, como gestor a única coisa que ele poderia fazer era decretar calamidade e apelar pra defesa civil, esse nem posso julgar, mas o grupo político dele sim. 
Tudo não passou de promessas de campanha eleitoral, se juntar todos (Ratos e Amuados) e colocarmos em uma balança terão o mesmo peso e a mesma medida. Pois, não é de hoje que se promete e se afirma que a prioridade nos projetos para Esperança seria a água. 
Visando as eleições de 2012 Abílio e Monteiro fizeram dois movimentos diferentes, porém com a mesma finalidade, um propôs a criação de um conselho e o outro promoveu uma audiência publica. No entanto, toda vida, o tiro saiu pela culatra, o rendimento das duas reuniões foram péssimos, só compareceu os que ainda são iludidos com a política sebosa do município. 
Enquanto a própria população não dê um basta nessa politicagem que assola o municípios mais de 5 décadas, Esperança nunca poderá Caminhar com suas próprias pernas, queremos projetos não só no papel, mas projetos que sejam elaborados. 
            Segundo informações extra-oficiais de um dos funcionários da CAGEPA de Esperança, a água que já estava chegando escassa no município e adjacências a cerca de cinco meses achegou no fim. Tendo com conseqüência a compra de água potável que varia de R$ 8,00 a R$12,00 (Balde) e o Caminhão Completo de R$130,00 a R$ 150,00. 
Mesmo não sendo da área, mas conversando com que sabe a única solução para abastecimento de água seria a interligação da barragem Saulo Maia, com a barragem de Vaca Brava, ambas em Areia/PB 
Em janeiro do ano passado, o ex- governador José Maranhão (PMDB) pôs em pauta a reconstrução de Camará que seria executada pela secretaria de Recursos Hídricos e da Ciência e Tecnologia.  Mas até hoje não saiu do papel, sendo alocados R$ 10 milhões para o início da obra, fruto de empréstimo junto ao BNDES. 
No entanto, como a análise das causas do rompimento ainda se arrasta na justiça, o recurso não pode ser utilizado nesta obra até que toda a tramitação do processo seja finalizada. Foi com base nesse empecilho judicial que o atual secretário de Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, João Azevedo, informou que esse dinheiro já está sendo realocado para a construção ou revitalização de outras barragens no Estado. 
Alguém cometeu um crime contra a comunidade e nós vamos novamente pagar por isso.

Nenhum comentário: