quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Vamos Cantar Parabéns pra Nossa Senhora!

Hoje é comemorado o dia em que Deus começa a pôr em prática o Seu plano eterno, pois era necessário que se construísse a casa, antes que o Rei descesse para habitá-la. Esta “casa”, que é Maria, foi construída com sete colunas, que são os dons do Espírito Santo.
Deus dá um passo à frente na atuação do Seu eterno desígnio de amor, por isso, a festa de hoje, foi celebrada com louvores magníficos por muitos Santos Padres. Segundo uma antiga tradição os pais de Maria, Joaquim e Ana, não podiam ter filhos, até que em meio às lágrimas, penitências e orações, alcançaram esta graça de Deus.
De fato, Maria nasce, é amamentada e cresce para ser a Mãe do Rei dos séculos, para ser a Mãe de Deus. E por isso comemoramos o dia de sua vinda para este mundo, e não somente o nascimento para o Céu, como é feito com os outros santos.
Sem dúvida, para nós como para todos os patriarcas do Antigo Testamento, o nascimento da Mãe, é razão de júbilo, pois Ela apareceu no mundo: a Aurora que precedeu o Sol da Justiça e Redentor da Humanidade.
Que essa festa na Igreja nos faça relembrar essa história especial de Salvação, com os olhos agradecidos diante daquela que soube dizer sim e, através disso, tornar-se mãe não somente de Jesus, mas de toda a humanidade.
Já não vivemos sob a escravidão dos elementos do mundo, como diz o Apóstolo Paulo, Já não estamos submetidos à letra da Lei (Col 2, 8; Rom 7, 6). Com efeito, é nisto que consiste o essencial das Graças de Cristo. É aqui que o Mistério se manifesta e que a Natureza é renovada: Deus fez-Se homem, e a humanidade assim assumida é divinizada.
Foi necessário, portanto, que a esplêndida Habitação de Deus, tão visível entre os homens, fosse precedida por uma introdução à alegria, de que decorreria para nós o magnífico dom da Salvação.
Tal é o objecto da Festa que celebramos:
O Nascimento da Mãe de Deus inaugura o Mistério que tem por conclusão e termo a União do Verbo com a carne. [...]
Agora que a Virgem acaba de nascer e se prepara para ser Mãe do Rei Universal de todos os séculos [...], é o momento em que recebemos do Verbo uma dupla mercê: Somos conduzidos à Verdade e libertados da vida de escravidão sob a letra da Lei.
Como? Por que forma? Sem dúvida nenhuma, porque as sombras se desvanecem com a chegada da Luz, porque a Graça faz com que a liberdade substitua a letra. A Festa que celebramos está nesta fronteira, porque faz a ligação entre a Verdade e as imagens que a prefiguram, substituindo o que era velho por coisas novas. [...] Que toda a Criação cante e dance, dando o seu melhor contributo para a alegria deste dia! Que o Céu e a Terra formem hoje uma única assembleia! Que tudo o que está no mundo e acima do mundo se una no mesmo concerto de festa. Com efeito, hoje, o Santuário criado eleva-se até onde residirá o Criador do Universo. E uma Criatura é preparada, por esta disposição inteiramente nova, para oferecer ao Criador uma Morada santa.
Viva Nossa Senhora!

Nenhum comentário: