quarta-feira, 7 de março de 2012

“Ser o Servo no Mundo de Hoje”

Reflexão do Evangelho de Quarta-Feira da II Semana da Quaresma no Ofício Divino em Esperança -PB  
(Mt. 20, 17- 28) 

Rodolpho Raphael

Amados irmãos nesta quarta-feira da segunda semana da quaresma, a Igreja  inspirada pelo Espírito Santo nos propõe um texto onde Jesus sugere aos seus discípulos  e ao mesmo tempo a nós  uma mudança de mentalidade.
Ele nos abre um novo horizonte de compreensão sobre qual deve ser o estilo de vida de seus seguidores e ao mesmo tempo mostra que a única coisa importante para o discípulo é seguir o exemplo dele: “Servir e não ser Servido.” Esta nova sociedade que Jesus tenciona, a autoridade não é exercício de poder, mas a qualificação para serviço, que se exprime na entrega de si mesmo para os outros e o bem comum.
Jesus sabia que seu tempo estava-se cumprindo na terra. Por isso na caminhada rumo a Jerusalém com seus discípulos, revelou o plano dos romanos em aniquilá-lo. Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem vai ser entregue aos chefes dos sacerdotes  e aos doutores da Lei. Eles o condenarão à morte, e o entregarão aos pagãos para zombarem dele, flagelá-lo e crucificá-lo. E no terceiro dia ele ressuscitará. (vv. 18, 19). Não temendo o flagelo e nem a morte Jesus encarou de peito aberto todas as adversidades. Sabia que à serviço do Pai não poderia abandonar sua missão.
O Evangelho de Hoje nos Mostra o tamanho do comprometimento de Jesus em libertar o mal plantado na terra: o mal da violência, da morte, do apego aos bens materiais, da ganância, da luxuria, da cobiça e de todos os males que causam a degradação do homem-filho de Deus. Neste caso a veemência de Jesus é encorajar os discípulos para os desafios que teriam que ser enfrentados.
Para Jesus a autoridade e o primeiro lugar no reino estão intimamente associados à capacidade de servir: “o maior de vocês deve ser aquele que serve” (Mt 23,11). Esta atitude fundamental do discípulo e da discípula configurará o quadro de carismas e ministérios, com a responsabilidade de atuar no mundo para transformar as realidades à luz da Palavra de Deus.
E para se tornar um verdadeiro “Servidor”, não podemos ficar no enunciado das palavras! Devemos fazer o que Jesus nos disse: "Quem não renunciar a todos os seus bens e não tomar a sua cruz para caminhar após mim, não pode ser meu discípulo".
Neste tempo Sacrossanto, favorável, neste dia da salvação lembro-nos da palavra de Cristo: "Levantai-vos, partamos daqui!" este é o convite de Jesus para Hoje, de sermos homes e mulheres que adquirem sua plenitude através do serviço e a entrega aos demais, uma entrega de amor e de fé, pois como bem enfatiza Bento XVI “O grande mandamento do amor ao próximo exige e incita a consciência a sentir-se responsável por quem, como eu, é criatura e filho de Deus: o fato de sermos irmãos em humanidade e, em muitos casos, também na fé deve levar-nos a ver no outro um verdadeiro alter ego, infinitamente amado pelo Senhor,”
O tempo da Quaresma põe em cheque o amor ao próximo em evidência. A pedagogia divina (oração, jejum, esmola) nos orienta a agir para a plena comunhão com Deus, em Jesus Cristo, e para a fecunda relação com o próximo, como sinal do amor de Deus. Que neste dia tendamos “à medida alta da vida cristã”, e vivamos à pura imitação da vida dos santos que, em seus testemunhos históricos, souberam ser cristãos exemplares e cujas virtudes devem ser aprendidas e postas em prática. 
Que Nosso Senhor, o Servo Sofredor nos ensine a viver esse tempo fecundo na via da santidade. Cada um deve se esforçar por preparar-se, na oração, no jejum e na caridade, a viver em si próprio a grandeza da vida cristã, de modo santo e fecundo. Assim nos prepararemos, adiantando-nos no amor e no serviço ao próximo, para participarmos dos mistérios da paixão, morte e ressurreição do Senhor. 
Assis Seja! 

Um comentário:

Anônimo disse...

muito bons seus textos Bolinha