sábado, 21 de abril de 2012

“O Fiat que revolucionou o mundo”


Como é difícil obedecer! Cada vez mais as pessoas buscam autonomia dos seus atos, pensamentos e sentimentos. Os adolescentes cada vez mais cedo querem decidir por conta própria o que devem fazer e o que é certo e errado. Fica cada vez mais difícil educar os filhos na obediência. 
Obedecer a Deus é algo que se dá muito com frequência. Quanto mais se obedece, mais se multiplicam as ordens de Deus, porque Ele sabe que este é o dom mais belo que pode dar, o que concedeu a seu Filho predileto, Jesus.
Quero que você internauta ao ler este artigo, contemple um instante o ícone vivo da obediência, aquela que não só imitou a obediência do Servo, mas que a viveu com Ele. Toda a obra redentora dependeu do faça-se de Maria. E disto tem a Virgem plena consciência. Sabe o que Deus lhe propõe; consente no que Deus lhe pede, sem restrição, nem condição; o seu Fiat responde à amplidão das proposições divinas, estende-se a toda a obra redentora o seu sobrenatural e meritório consentimento foi dado em nome de toda a raça humana, que necessitava do Redentor prometido.
O “faça-se em mim” de Maria encontra a sua realização quando unido ao “não se faça a minha vontade, mas a tua”, que Cristo pronunciou no jardim das Oliveiras. Trata-se de uma resposta admirável de bondade, mas também de humildade e de prudência! Aqui Maria manifesta mais ainda do que a sua incomparável humildade e obediência, mas a grandeza da sua fé, fazendo-a entregar-se inteiramente à ação divina, sem questionar nem pretender penetrar o profundo mistério, ou pensar sequer nas conseqüências a que se arriscava. E nós como temos respondido ao Senhor?
Pelo “Fiat Mihi Secundum Verbum Tuum” o Verbo divino, se encarnou no seu seio puríssimo e virginal! É, portanto, pelo seu sim que Deus se fez homem. “Este Verbo feito Carne ama todos os homens, pelos quais está preparado a derramar Seu Sangue. Ele ama de um modo especial os eleitos, e entre eles, de um modo ainda mais especial, os apóstolos e os santos. Porém, seu amor por Maria, destinada a estar mais intimamente associada com Ele em Seu trabalho pela salvação das almas, é o maior de todos. Mas Jesus é Deus. Assim, Seu amor por Ela produz na alma de Maria graças em superabundância, de modo a transbordar para as outras almas”.
Lembro-nos de que o nosso sim ou faça-se, pode transformar vidas, libertar as pessoas dos vícios, das drogas, da prostituição, do alcool, do adultério, da ganância, dos roubos; pode curar os doentes e ressuscitar os mortos. Pode introduzir os nossos em um novo céu e em uma nova terra.
O verdadeiro devoto não é o que reza, mas o que imita”. O fiel encontra na imitação de Maria o caminho seguro do seguimento de Jesus. Pois Maria é a terra de encontro com Cristo e ela nos conduz até Ele. Mas o faz também hoje: traz Cristo a todos nós.
Que a exemplo de Maria e reconhecendo a sua humildade no Magnificat, assumamos o compromisso de que seremos humildes e caridosos para com o nosso próximo. Ainda mais quando demos nosso faça-se, nosso sim, ao chamado especial de Cristo.

Rodolpho Raphael - @RodolphoRR

Nenhum comentário: