terça-feira, 1 de maio de 2012

Somos a Geração João Paulo II

"Vós sois o futuro do mundo, a esperança da Igreja. Vós sois a minha esperança.”

(João Paulo II na Jornada Mundial da Juventude)


Há exatamente um ano, o Papa João Paulo II era beatificado por seu sucessor, Bento XVI, na Praça São Pedro, no Vaticano. A cerimônia, considerada uma das maiores da história da Igreja pelo número de pessoas, contou com a presença de cerca de um milhão e meio de peregrinos.

Se  fossemos testemunhar o que João Paulo II foi e fez durante os 26 anos de pontificado, não teríamos folhas, de tão grandiosos testemunhos que iriam aparecer por aqui, mas o que podemos dizer é que João Paulo II ficou marcado por sua espontaneidade, simpatia, por ser um homem de profunda oração e grande amor pela vida humana.

Com o seu testemunho de amor e de coragem na fé apostólica ajudou a nós cristãos de todo o mundo a não ter medo de se dizer cristãos, de pertencer à Igreja, de falar do Evangelho. Numa palavra, ajudou-nos a não ter medo da verdade, porque a verdade é garantia de liberdade, e o instinto do povo não se enganava quando via no Papa Wojtyla um homem de Deus, desde o inicio de seu pontificado. Aqueles que estiveram com ele percebiam que a fé era destacada no calor sereno e viril da voz, no olhar profundo, afetuoso e calmo, na paz com que abraçava o seu serviço sacrificado e incansável.

E com isso temos a certeza que a missão de João Paulo II foi preparar o mundo para o novo Milênio, mostrar realmente o sentido da fé deixada por nossos antepassados e ao mesmo tempo nos encorajar e conclamar a nós católicos e homens de boa vontade a olhar para o futuro com esperança quando disse na abertura de seu pontificado: “Não tenhais medo de abrir as portas para Jesus Cristo. Abri, escancarai as portas para Jesus! Só Jesus sabe o que há no coração do homem!”.

“Que frase, que percepção: só Jesus sabe o que há no coração do homem! Só em Jesus as verdadeiras sedes, os verdadeiros desideratos do homem são saciados e a humanidade encontrará paz duradoura! É nesse contexto que vimos João Paulo II na defesa intransigente dos valores do Evangelho, sem temer ser incompreendido pelo mundo: porque não são o pensamento da moda, Só Jesus pode saciá-lo porque só Jesus o conhece! O mistério do homem somente se clarifica à luz do mistério do Cristo! Daí também sua paixão pelo homem, por sua dignidade! Esse homem a quem o Filho de Deus assumiu fazendo-se ele mesmo humano, esse homem amado pelo Pai, a ponto de enviar-lhe o seu Filho bendito, esse homem tantas vezes agredido e agressor, soberbo e humilhado... Nascia daqui, dessa percepção profunda, a defesa louca, apaixonada, absoluta pela vida humana: os pobres, os marginalizados, os perseguidos, os embriões humanos agredidos pela prática abortiva e pelos procedimentos “científicos” de uma Ciência desprovida de princípios éticos. Nascia dessa fonte o seu grito pela paz e contra todas as guerras e opressões. Daqui brotava o respeito profundo por qualquer ser humano, fosse qual fosse sua religião, sua ideologia. Respeitava a todos e a todos amou, não pelo que as pessoas faziam, mas pelo que as pessoas eram: imagem de Deus em Cristo Jesus, destinadas à eternidade.” (SOARES 2009)

Com esta frase de esperança, nos atenhamo-nos também a fé de João Paulo II, uma fé segura, sólida e feliz, podemos até dizer que lhe saía por todos os poros do corpo e da alma. Fazendo-nos meditar que a “Fé e a razão constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade. Foi Deus quem colocou no coração do homem o desejo de conhecer a verdade e, em última análise, de O conhecer a Ele, para que, conhecendo-O e amando-O, possa chegar também à verdade plena sobre si próprio” (FIDES ET RATIO 1998) isso fez com que acreditássemos realmente em Deus e em seu filho Jesus Cristo, único Salvador e Redentor do mundo; João Paulo II nos fez acreditar plenamente no chamado à salvação que está em Cristo Jesus; nos fez acreditar, com confiança de filhos, na intercessão da santíssima Virgem Maria, em cujos braços maternos se abandonou muito cedo, declarando-se Totus tuus! -”Todo teu!”.

Por fim, falar de João Paulo II e não falar do seu amor à juventude é deixar este texto sem o “Grand Finale” afinal somos e sempre seremos a Geração João Paulo II, de um homem que foi o defensor incansável da Verdade. Não de uma verdade para um grupo religioso, mas da grande Verdade, buscada por toda a humanidade e com isso nos tornamos jovens comprometidos com esta verdade e com o serviço do reino. Graças a João Paulo II nos tornamos “Um novo sol que se levanta sobre a nova civilização que hoje nasce; tornamo-nos uma corrente mais forte que o ódio e que a morte. Pois já sabemos, que o caminho é o amor” e este mesmo amor professado pelo Beato João Paulo II à juventude Que nos faz buscar hoje “Aqui sob essa mesma luz, Sob essa mesma cruz, cantando a uma só voz o Emanuel”.


Beato João Paulo II Rogai por Nós! 


Rodolpho Raphael  - @RodolphoRR

6 comentários:

Poemas disse...

Maravilhoso tudo o que foi escrito aqui meu amigo... É sempre bom falarmos do Papa João Paulo II, peçamos interseção para esse Beato, que cada vez mais tenhamos Beato João Paulo II Magno em nossas orações!

Poemas disse...

Beato João Paulo II Magno... Grande Papa,lindas palavras Rodolpho... rezemos para que cada vez mais cresça a Devoção por esse Beato que colaborou muito para a Igreja de Cristo!

Émerson Andrade disse...

Diante de um mundo que vive a efemeridade da vida, ser cristão tem se tornado uma missão cada vez mais difícil, a mensagem de João Paulo II e a sua confirmação por Bento XVI convida a nós, os jovens do terceiro milênio, a sermos a sustentação da fé verdadeira e da igreja de cristo no mundo. Vemos que Jesus tem sido cada dia mais agredido e ferido, e que os questionamentos sobre as opiniões da igreja se avolumam num momento que ela passa por provações e tentações, afinal por ser uma criação de Deus para a redenção da humanidade é obvio que ela venha a sofrer agressões por parte do inimigo de Cristo. E através dele muitas ameaças se espelham dentro do catolcismo confundindo as vezes a voz das ovelhas, mas vã é a luta do mal contra o bem, pois já disse Jesus "Eu sou o bom pastor e as ovelhas reconhecem a voz do seu pastor". Sendo assim rezemos para que se multipliquem aqueles que espalaham a voz do bom pastor e que estes cultivem a santidade, que os jovens sintam esse chamado e que as novas comunidades, respostas de Deus e da igreja para os novos tempos sejam exemplo para a sociedade e porta de entrada para a Comunhão com a Igreja. Que a cada dia possamos então reconhecer a voz do nosso pastor e que aqueles que envergonham a igreja por caírem na tantação se apresentem como culpados mas arrependidos pelo que fizeram com a nossa grande mãe. Tudo isso se mostra como sinais do fim dos tempos e é com a certeza de que caminhamos para a volta gloriosa do messias que precisamos se fortelecer e nos dedicarmos com mais fervor e santidade as causas da Igreja Una Santa Católica Apostólica Romana.

Poemas disse...

Beato João Paulo II Magno... Lindas palavras irmão Rodolpho, este Papa nos preparou para o novo milenio, que neste aniversario de Beatificação lembremos que temos que anunciar cada vez mais este Beato... que cada vez mais cresça a devoção por ele, para assim ser canonizado! João Paulo II, Rogai por nós!

Kátia disse...

Muito bom mesmo! Somos o futuro do mundo a esperança da igreja. "Aqui sob essa mesma luz, Sob essa mesma cruz, cantando a uma só voz o Emanuel."

Grupo de Perseverança PCV disse...

Um grande nome da nossa história que, com certeza, permanecerá para sempre em nossos corações.

Parabéns por tanta qualidade neste blog! Já seguimos.

Grande abraço!
grupopcv.blogspot.com